Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1762


1762

A MULHER ENFERMEIRA FRENTE AO PRECONCEITO RACIAL NO AMBIENTE DE TRABALHO

Autores:
Maria Ronálcia da Silva Sena (ronalciasena@hotmail.com) (Sociedade de Ensino Universitário do Nordeste - Faculdade SEUNE) ; Andreiny Stefany Pimentel Pereira (Sociedade de Ensino Universitário do Nordeste - Faculdade SEUNE) ; Priscilla Quintela Graça de França (Sociedade de Ensino Universitário do Nordeste - Faculdade SEUNE) ; Roberisa Tenório Costa (Centro Universitário Tiradentes - UNIT Maceió)

Resumo:
Introdução: A invisibilidade do negro é perceptível na História que omite ou distorce sua participação na construção da sociedade brasileira. Nesse contexto, encontrava-se a mulher negra impedida de ingressar na Escola profissional, pois, estava fora da representação social construída para "boa enfermagem". Objetivo: analisar o preconceito racial no âmbito da profissão e mostrar que a discriminação permanece presente na enfermagem até os dias atuais. Metodologia: estudo de revisão de literatura realizado no mês de maio do ano 2015 com os descritores Enfermagem, Discriminação e Racismo. Resultado: atualmente ainda tem-se a existência do preconceito racial também no âmbito da enfermagem. A mulher negra é discriminada, tanto como mulher, quanto como negra, por trazer consigo a marca da construção social do que é ser mulher e o mito da inferioridade da cor negra, gerando assim subordinação e exclusão. Conclusão: As desigualdades entre negros e brancos é visível no campo da enfermagem pois, a imagem da mulher negra mesmo com várias conquistas de liberdade e respeito ainda gera estereótipos. Contribuições para Enfermagem: Desconstruir qualquer tipo de preconceito contra o profissional negro através da igualdade, respeito e reconhecimento de suas qualidades profissionais.


Referências:
BOTOSSO, T. C. de O. Curso Educação, Relações Raciais e Direitos Humanos. Racismo no Brasil. São Paulo, 2012. Disponível em: Acesso em: 22 de maio de 2015. GONÇALVES, M.E.S. A invisibilidade da mulher negra na enfermagem profissional brasileira. Revista Eletrônica Multidisciplinar Pindorama. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia- junho/2012. Disponível em: Acesso em: 22 de maio de 2015. OLIVEIRA, E. C. de. Ser Negra na Enfermagem: Representação Social de Enfermeiras Negras. 72 páginas. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal de Ouro Preto - MG, 2012. Disponível em: Acesso em 20 de maio de 2015