Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1831


1831

A HISTÓRIA DE VIDA DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS E A (CON)VIVÊNCIA COM A DEFICIÊNCIA MOTORA

Autores:
Maria Itayra Coelho de Souza Padilha (itayra.padilha@ufsc.br) (Universidade Federal de Santa Catarina) ; Maiara Suelen Mazera (Universidade Federal de Santa Catarina)

Resumo:
Objetivo: conhecer a importância da convivência familiar e extrafamiliares no viver com a deficiência motora e o impacto que a deficiência causa no cotidiano familiar. Método: Pesquisa histórica com abordagem qualitativa. Participaram oito estudantes universitários que nasceram com a deficiência ou a adquiriram, e convivem com essa condição há mais de um ano. Foi realizado a análise temática, resultando em duas categorias. Resultados: A família demonstrou-se presente em todos os momentos, destacando-se pelo afeto e amor, tornando-se motivadora e também se mostrou a grande influenciadora. Os amigos apresentaram-se encorajadores para superar as limitações. Conclusão: O diagnóstico frente à deficiência motora é de difícil enfrentamento, e a família mostrou-se como apoio primário, e a sua forma de lidar influenciará no desenvolvimento da pessoa com deficiência e como ela irá enfrentar as dificuldades, também, influenciará nas relações interpessoais, e na formação de estratégias para conviver com a deficiência.


Referências:
1. OMS. Organização Mundial da Saúde. Relatório mundial sobre a deficiência / World Health Organization, The World Bank ; tradução Lexicus Serviços Lingüísticos. - São Paulo: SEDPcD, 2012. 334 p 2. IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia a e Estatística - Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Censo Demográfico 2010. Características da população e dos domicílios. Rio de Janeiro. 2011 3. Missel A, Costa CC, Sanfelice GR. Humanização da saúde e inclusão social no atendimento de pessoas com deficiência física. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, 2017. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sol00055. 4. Le Breton D. Antropologia do corpo e modernidade. Petrópolis: Vozes, 2011, 405 p. 5. Padilha MICS, Borenstein MS. The methodology of historic research in the nursing. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v. 14, n. 4, p.575-84, Out-Dez, 2005. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2017. 6. Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2012 7. Lucca SA, Petean EBL. Fatherhood: experiences of fathers of boys diagnosed with Duchenne Muscular Dystrophy. Ciência & Saúde Coletiva, [s.l.], v. 21, n. 10, p.3081-3089, out. 2016. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320152110.20302016. 8. Silva BT, Silva MRS, Bueno MEN. Significant intra and extra-family events in the fatherhood construction process. Escola Anna Nery - Revista de Enfermagem, Rio de Janeiro, v. 18, n. 4, p.710-715, 2014. GN1 Genesis Network. http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20140101. 9. Oliveira IG, Poletto M. Emotional experiences of mothers and fathers of children with disabilities. Rev. SPAGESP, Ribeirão Preto, v.16 n.2, p. 102-19, 2015. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rspagesp/v16n2/v16n2a09.pdf 10. Figueiredo SV, Sousa ACC, Gomes ILV. Children with special health needs and family: implications for Nursing. Rev Bras Enferm [Internet]. 2016;69(1):79-85. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690112i. 11. Barbosa MAM, Balieiro MMFG, Pettengill MAM. Family-centered care in the context of children with disabilities and their families: a reflective review. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v. 21 n.1, p. 194-9, Jan-Mar 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v21n1/a22v21n1.pdf 12. Padua ESP, Rodrigues L. Família e deficiência: reflexões sobre o papel do psicólogo no apoio aos familiares de pessoas com deficiência. VIII encontro da associação brasileira de pesquisadores em educação especial. Londrina, nov. 2013. ISSN 2175-960X 13. Goldsmid R, Féres-Carneiro T. Relação fraterna: constituição do sujeito e formação do laço social. Psicologia USP, São Paulo, v. 22, n. 4, p.771-88, dez. 2011. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0103-65642011005000031. 14. Sá SMP, Rabinovich EP. Understanding the family of the physically disabled child. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum, São Paulo, v. 16 n.1, p, 68-84, 2006. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbcdh/v16n1/08.pdf 15. Nunes SS, Saia A, Tavares RE. Inclusive Education: History, Prejudices, and School and Family. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 35, n. 4, p.1106-19, dez. 2015. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1982-3703001312014 16. Tholl AD. O quotidiano e o ritmo de vida de pessoas com lesão medular e suas famílias: potências e limites na adesão à reabilitação para a promoção da saúde. 2015. 250 f. Tese (Doutorado) - Curso de Enfermagem, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015. 17. Bezerra GF, Araujo DAC. Appearances are deceptive: by the way of a radical critique about the including ideal. Educere e Educare, Cascavel, v. 5 n.9, p. 253-66, jan-jun 2010. 18. Bezerra GF. A inclusão escolar de alunos com deficiência: uma leitura baseada em Pierre Bourdieu. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 22, n. 69, p.475-497, jun. 2017. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1413-24782017226924 19. Teles FM, Resegue R, Puccini RF. Care needs of children with disabilities -Use of the Pediatric Evaluation of Disability Inventory. Revista Paulista de Pediatria, São Paulo, v. 34, n. 4, p.447-453, dez. 2016. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.rppede.2016.02.015 20. Auad JC, Conceição MIG. College social insertion: An investigation based on the minimum social atom. Paidéia, Brasília, v. 18, n. 39, p. 139-54, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/paideia/v18n39/v18n39a13.pdf