Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1833


1833

A IDENTIDADE SOCIAL DA ENFERMAGEM BRASILEIRA: REVISÃO INTEGRATIVA

Autores:
Vanessa da Silva Souza (souzadavs@gmail.com) (Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ) ; Maria Regina Araujo Reicherte Pimentel (Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ) ; Maria Lelita Xavier (Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ)

Resumo:
A IDENTIDADE SOCIAL DA ENFERMAGEM BRASILEIRA: REVISÃO INTEGRATIVA INTRODUÇÃO: Na formação da identidade social o indivíduo seleciona pessoas com características comuns, conforme valores e qualidades. À medida que escolhe os pares e julga a realidade, percebe seu pertencimento a um grupo, e que este se diferencia de outros(1). O grupo que consegue fazer reconhecer sua legitimidade e princípios de divisão do mundo social se impõe como identidade legítima, classificando os demais conforme seus interesses(6). O não reconhecimento leva a identificações aos poderosos, propiciando a reprodução do pensamento de quem é capaz de impor e defender as próprias ideias(3). Assim, entende-se que a pessoa enquanto agente social é sujeita a manobras(6). OBJETIVO: descrever a identidade social da enfermagem brasileira presente nas biografias publicadas de personalidades desta profissão. Método: pesquisa exploratória-descritiva, de abordagem qualitativa com emprego da revisão integrativa da literatura. Foi realizado, de fevereiro a abril de 2016, levantamento de publicações na Biblioteca Virtual em Saúde, nas bases de dados LILACS e SciELO utilizando os descritores "enfermagem", "história da enfermagem", "biografia", "personalidade" e "memória" nos idiomas português, inglês e espanhol. Resultados: da análise das 45 fontes selecionadas emergiu a categoria identidade coletiva, que subdivide-se nas subcategorias: "organização para constituição da categoria profissional", "visão social", "processos competitivos", "ações/medidas para formação da identidade" e "reconhecimento social". CONSIDERAÇÕES FINAIS: a identidade social da enfermagem brasileira favoreceu sua organização e fortalecimento, os quais foram necessários a sua constituição enquanto saber científico e são indispensáveis às conquistas, posição social que almeja e construção de uma sociedade democrática. CONTRIBUIÇÕES PARA A ENFERMAGEM: o conhecimento da identidade social da enfermagem brasileira pode promover na formação, a assimilação com a futura profissão e sua singularidade; na assistência, a coesão dos profissionais; e na pesquisa, o interesse sobre a importância de conhecer a profissão. Descritores: Enfermagem. História da Enfermagem. Identidade.


Referências:
1 Del Prette A, Del Prette, ZAP. Assertividade, sistema de crenças e identidade social. Psicologia em Revista [on-line]. 2003 jun; [citado 2016 jun 21]; 9(13):125-36. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/psicologiaemrevista/article/view/169/182 6 Berlatto O. A construção da identidade social. Revista do Curso de Direito da FSG [internet]. 2009 jan/jun; [citado 2016 nov 10]; 3(5):141-51. Disponível em: https://professorsauloalmeida.files.wordpress.com/2015/05/identidade-4.pdf 3 Vasconcelos IFG, Vasconcelos FC. Gestão de Recursos Humanos e identidade social: um estudo crítico. Revista de Administração de Empresas [on-line]. 2002; [citado 2016 jun 21]; 42(1):64-78. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-75902002000100007