Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1851


1851

ANÁLISE DOS REGISTROS DE TÉCNICOS DE ENFERMAGEM E ENFERMEIROS EM PRONTUÁRIOS HOSPITALARES

Autores:
Larissa de Lima Ferreira (lariiilf@gmail.com) (Universidade Federal do Rio Grande do Norte) ; Flávia Tavares Barreto Chiavione (Universidade Federal do Rio Grande do Norte) ; Manacés dos Santos Bezerril (Universidade Federal do Rio Grande do Norte) ; Pétala Tuani Cândido de Oliveira Salvador (Universidade Federal do Rio Grande do Norte) ; Viviane Euzébia Pereira Santos (Universidade Federal do Rio Grande do Norte)

Resumo:
Objetivo: analisar as principais não conformidades dos registros de enfermagem de um hospital público do nordeste. Método: estudo descritivo, transversal, abordagem quantitativa. O local da pesquisa foram enfermarias médicas e cirúrgicas de um hospital. A amostra compôs-se dos 120 prontuários de pacientes internados entre outubro e dezembro de 2016. O instrumento utilizado avaliou os registros da equipe de enfermagem. Os dados obtidos foram tabulados e analisados por estatística simples em frequência absoluta e relativa através do software Microsoft Excel 2013. Para avaliar as não conformidades dos registros, usou-se o Diagrama de Pareto. Resultados: como principais problemas nos registros de enfermagem, destacou-se a ausência da categoria profissional e número do conselho, responsáveis por 41,8% das não conformidades nos registros de TE, enquanto que nas anotações dos enfermeiros foram a ausência de hora e as letras ilegíveis, com 61,2%. Conclusão: o estudo evidenciou que os profissionais de enfermagem realizam seus registros de forma incompleta e que muitas vezes não documentam o cuidado prestado. Implicações para a enfermagem: esse estudo pode fundamentar melhores práticas assistenciais, pois sua avaliação possibilita o desenvolvimento de estratégias e ações que visem melhorias no cuidado e, também, atuar como respaldo legal ao profissional. Palavras-chave: Enfermagem. Comunicação. Registros de enfermagem. Keywords: Nursing. Communication. Nursing registration. Palabras clave: Enfermería. Comunicación. Registro de enfermería.


Referências:
1. Blair W, Smith B. Nursing documentation: frameworks and barriers. Contemp Nurse. 2012;41(2):160-8. [Acesso em 05 jun 2017] Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22800381 2. Broca PV, Ferreira MA. Processo de comunicação na equipe de enfermagem fundamentado no diálogo entre Berlo e King. Esc Anna Nery. 2015;19(3):467-74. [Acesso em 05 jun 2017] Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v19n3/1414-8145-ean-19-03-0467.pdf 3. Carneiro SM, Dutra HS, Costa FM, Mendes SE, Arreguy-Sena C. Uso de abreviaturas nos registros de enfermagem em um hospital de ensino. Rev Rene. 2016;17(2):208-16. [Acesso em 05 jun 2017] Disponível em: http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/3001 4. Barral LNM, Ramos LH, Vieira MA, Dias OV, Souza LPS.Análise dos registros de enfermagem em prontuários de pacientes em um hospital de ensino. Rev. Min. Enferm.2012;16(2):188-93. [Acesso em 07 jun 2017] Disponível em: http://www.reme.org.br/content/imagebank/pdf/v16n2a06.pdf 5. França FM, Ferrari R. Estresse ocupacional e crônico e o setor de atuação dos profissionais de enfermagem da rede hospitalar. Revista eletrônica Gestão & saúde. 2012;3(1):531-45.[Acesso em 07 jun 2017] Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/5555760.pdf 6. Conselho Federal de Enfermagem- COFEN. Resolução COFEN N° 311/ 2007. Aprova a reformulação do código de ética dos profissionais de enfermagem. Rio de Janeiro; 2007.[Acesso em 08 jun 2017] Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3112007_4345.html 7. Conselho Federal de Enfermagem- COFEN. Resolução COFEN N° 0545/2017 - Revogou a Resolução COFEN-191/1996. Dispõe sobre a anotação de enfermagem e mudança nas siglas das categorias profissionais. Brasília;2017.[Acesso em 08 jun 2017] Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-no-05452017_52030.html 8. Maziero VG, Vannuchi MTO, Haddad MCL, Vituri DW, Tada CN. Qualidade dos registros dos controles de enfermagem em um hospital universitário. Rev Min Enferm. 2013;17(1): 165-70. [Acesso em 10 jun 2017]Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/587 9. Conselho Federal de Enfermagem- COFEN. Resolução COFEN N°0514/2016. Aprova o Guia de recomendações para registro de enfermagem no prontuário do paciente e outros documentos de enfermagem. 2016.[Acesso em 10 jun 2017] Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-no-05142016_41295.html 10. Conselho Federal de Enfermagem- COFEN. Guia de recomendações para registro de enfermagem no prontuário do paciente e outros documentos de enfermagem - versão web. 2016. [Acesso em 10 jun 2017] Disponível em: http://www.cofen.gov.br/wp-content/uploads/2016/08/Guia-de-Recomenda%C3%A7%C3%B5es-CTLN-Vers%C3%A3o-Web.pdf 11. Silva TG, Santos RM, Crispim LMC, Almeida LMWS. Conteúdo dos registros de enfermagem em hospitais: contribuições para o desenvolvimento do processo de enfermagem. Enferm. Foco.2016;7(1):24-7. [Acesso em 15 jun 2017] Disponível em: http://revista.portalcofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/679 12. Lélis EC. Gestão da qualidade 1. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2012. 13. Costa FM, Rodrigues AO. Auditoria operacional: não conformidades em registros de enfermagem. RBPeCS. 2014;1(1):25-8.[Acesso em 17 jun 2017] Disponível em: http://www.icesp.br/revistas-eletronicas/index.php/RBPeCS/article/view/8/2 14. Morais CGX, Batista EMS, Castro JFL, Assunção SS, Castro GMO. Registros de enfermagem em prontuário e suas implicações na qualidade assistencial segundo os padrões de acreditação hospitalar: um novo olhar da auditoria. Revista ACRED. 2015;5(9):64-84. [Acesso em 17 jun 2017] Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5626617 15. Magalhães AM, Dall´Agnol CM, Marck PB. Carga de trabalho da equipe de enfermagem e segurança do paciente - estudo com método misto na abordagem ecológica restaurativa. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2013 Fev; 21(spe):146-54. [Acesso em 17 jun 2017] Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-11692013000700019&script=sci_arttext&tlng=pt 16. Silva JA, Grossi ACM, Haddad MCL, Marcon SS.Avaliação da qualidade das anotações de enfermagem em unidade semi-intensiva. Esc. Anna Nery .2012 ;16(3):576-82. [Acesso em 20 jun 2017] Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452012000300021 17. Franco MTG, Akemi EN, D´Inocento M. Avaliação dos registros de enfermeiros em prontuários de pacientes internados em unidade de clínica médica. Acta Paul. Enferm., 2012;25(2):163-170.[Acesso em 27 jun 2017] Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v25n2/a02v25n2.pdf 18. Lucena AF. Processo de enfermagem: interfaces com o processo de acreditação hospitalar. Rev. Gaúcha Enferm. 2013;34(4):8-9. [Acesso em 03 jul 2017] Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/45306 19. Gomes DC, Cubas MR, Pleis LE, Shmeil MAH, Peluci APVD. Termos utilizados por enfermeiros em registros de evolução do paciente. Rev Gaúcha Enferm. 2016;37(1):e53927.[Acesso em 03 jul 2017] Disponível em:http://seer.ufrgs.br/index.php/RevistaGauchadeEnfermagem/article/viewFile/53927/37061 20. Silveira LL, Almeida MA, Silva MB, Nomura ATG. Registros de enfermagem acerca das ações educativas para pacientes submetidos à artroplastia de quadril. Rev. Eletr. Enf. 2015;17(4):1-8.[Acesso em 03 jul 2017] Disponível em: https://www.fen.ufg.br/revista/v17/n4/pdf/v17n4a04.pdf 21. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução nº 272, de 27 de agosto de 2002. Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem-SAE- nas Instituições de Saúde Brasileiras. [Acesso em 03 jul 2017] Disponível em: http://site.portalcofen.gov.br/node/4309